Archive for novembro, 2010

Queda de Gigantes

Cinco famílias, cinco países e cinco destinos marcados por um período dramático da história. Queda de Gigantes, o primeiro volume da trilogia O Século, do consagrado Ken Follett, começa no despertar do século XX, quando ventos de mudança ameaçam o frágil equilíbrio de forças existente – as potências da Europa estão prestes a entrar em guerra, os trabalhadores não aguentam mais ser explorados pela aristocracia e as mulheres clamam por seus direitos. De maneira brilhante, Follett constrói sua trama entrelaçando as vidas de personagens fictícios e reais, como o rei Jorge V, o Kaiser Guilherme, o presidente Woodrow Wilson, o parlamentar Winston Churchill e os revolucionários Lênin e Trótski. O resultado é uma envolvente lição de história, contada da perspectiva das pessoas comuns, que lutaram nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, ajudaram a fazer a Revolução Russa e tornaram real o sonho do sufrágio feminino. Ao descrever a saga de famílias de diferentes origens – uma inglesa, uma galesa, uma russa, uma americana e uma alemã -, o autor apresenta os fatos sob os mais diversos pontos de vista. Na Grã-Bretanha, o destino dos Williams, uma família de mineradores de Gales do Sul, acaba irremediavelmente ligado por amor e ódio ao dos aristocráticos Fitzherberts, proprietários da mina de carvão onde Billy Williams vai trabalhar aos 13 anos e donos da bela mansão em que sua irmã, Ethel, é governanta. Na Rússia, dois irmãos órfãos, Grigori e Lev Peshkov, seguem rumos opostos em busca de um futuro melhor. Um deles vai atrás do sonho americano e o outro se junta à revolução bolchevique. A guerra interfere na vida de todos. O alemão Walter von Ulrich tem que se separar de seu amor, lady Maud, e ainda lutar contra o irmão dela, o conde Fitz. Nem mesmo o americano Gus Dewar, o assessor do presidente Wilson que sempre trabalhou pela paz, escapa dos horrores da frente de batalha.
Autor: Ken Follett
Ano: 2010
Editora: Sextante
Páginas: 912

Anúncios

Dia do Técnico de Segurança do Trabalho

Lixo eletrônico também deve ser reciclado

Qual é o destino do lixo eletrônico que você produz? Hoje em dia, é normal aparelhos tornarem-se rapidamente obsoletos e serem descartados como lixo comum. Porém, o descarte inadequado desses resíduos pode causar danos irreparáveis ao meio ambiente. Geladeiras, computadores, televisores, entre outros aparelhos, possuem em sua composição metais tóxicos como mercúrio, cádmio, berílio e chumbo. Tais elementos, em contato com o solo, contaminam o lençol freático; se queimados, poluem a atmosfera; além de originarem graves doenças nos catadores que sobrevivem da venda de materiais coletados nos aterros sanitários. De acordo com o Greenpeace, são produzidos no planeta, anualmente, cerca de 50 milhões destes dejetos. Na União Europeia, esse número vem crescendo 5% ao ano.

No caso de microcomputadores e monitores, todos os componentes podem ser reciclados, inclusive as substâncias tóxicas. Entretanto, no Brasil a maioria das empresas de reciclagem do gênero é segmentada e reutiliza apenas materiais específicos. A velocidade com que estes equipamentos tornam-se remotos faz com que a produção de resíduos aumente assustadoramente. Na Europa, desde 2003, os fabricantes são responsabilizados pelo tratamento dos dejetos eletroeletrônicos. Outra lei restringe o uso de determinadas substâncias nestes dispositivos. No Brasil, desde agosto deste ano, está em vigor a lei nº 12.305, referente à Política Nacional de Resíduos Sólidos, que determina o destino para o resíduo eletroeletrônico. No Estado de São Paulo, a Lei 13.576 institui normas e procedimentos para a reciclagem, gerenciamento e destinação final do lixo tecnológico. Segundo pesquisa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), realizada em 11 países emergentes em desenvolvimento, o Brasil tem a maior produção per capita de lixo eletrônico – meio quilo – oriundo de computadores.

Para facilitar o descarte deste material, A Universidade de São Paulo (USP) criou o Centro de Descarte e Reuso de Resíduos de Informática (Cedir) do Centro de Computação Eletrônica (CCE). O Centro recebe peças e equipamentos de informática e eletroeletrônicos obsoletos da população. Instalado em um galpão de 400m², conta com área para categorização, triagem e destinação de 500 a 1000 equipamentos por mês.

Os interessados devem agendar a entrega do seu lixo eletrônico pelos telefones 3091-6454/6455/6456 – de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h ou pelo e-mail consulta@usp.br. Para mais informações sobre o Centro e dúvidas envie e-mail para cedir.cce@usp.br.

Dia do Biomédico

Jesuíno, um olhar de São Miguel

Simplesmente Amor

O novo Primeiro-Ministro da Inglaterra se apaixona por uma de suas subordinadas. Um escritor viaja ao sul da França, onde acaba se apaixonando. Uma esposa desconfia que esteja sendo traída. Outra acredita que o melhor amigo do marido está paquerando-a. Um adolescente tenta atrair a garota mais difícil do colégio. E, por fim, uma mulher tem a chance de sair com o seu amor secreto. No filme, estas histórias se entrelaçam por um simples motivo: o amor.

Direção: Richard Curtis

País: Inglaterra

Ano: 2003

Duração: 134 min.

 

Se eu fechar os olhos agora

Abril, 1961. Yuri Gagarin torna-se o primeiro homem a sair da órbita terrestre e desbravar o universo. Na mesma data desta memorável conquista à Humanidade, em uma cidadezinha da antiga zona do café fluminense, o corpo de uma bela mulher é encontrado dilacerado à várzea de um lago por dois meninos de 12 anos de classe média baixa – um filho de ferroviário, outro de açougueiro –, que cabulavam aula. Espantados, os garotos imediatamente chamam a polícia que, ao chegar no local e interrogá-los, os tratam mais como suspeitos do que testemunhas.

Impressionados com a brutalidade do crime e o descaso absoluto com o ser humano, além de não aceitarem a explicação oficial, que acusa o frágil dentista da região, marido da vítima, como autor do assassinato, os meninos decidem investigar. Eles ainda contam com a ajuda de um senhor morador do asilo da cidade, um ex-preso político da ditadura Vargas que esconde seu real interesse no assunto. Dele, os meninos ouvem um aviso que marca o começo de um turbilhão de acontecimentos surpreendentes: “Nada neste país é o que parece.”

Logo, eles descobrem uma estranha ligação entre a mulher e alguns dos homens mais importantes da cidade e que o passado dela está calcado em mentiras. A investigação ainda desvenda um perverso painel em que a violência sexual, o racismo, a corrupção e as espúrias alianças políticas — que tentam a qualquer custo manter o poder — se misturam, em uma época que o Brasil caminha para a industrialização. Para os meninos, será um terrível caminho de amadurecimento e chegada à vida adulta, ainda no início da adolescência.

Autor: Edney Silvestre

Ano: 2009

Páginas: 304

Editora: Record

 

Deputado Tiririca…

Baixe a programação da Virada Esportiva 2010, que acontece neste fim de semana

Nos próximos dias 20 e 21 de novembro, acontece em São Paulo a 4ª edição da Virada Esportiva. Criada no ano de 2007, a Virada Esportiva nasceu do conceito da Virada Cultural, mas com o objetivo de levar aos paulistanos 24 horas ininterruptas de atividades esportivas, recreativas e de lazer. A cada edição, a organização supera o número de eventos e de pessoas beneficiadas pelo projeto. Em 2007 um milhão de pessoas participaram, em 2008 dois milhões e em 2009 três milhões.

Baixe a programação 2010 aqui: Virada Esportiva 2010

Conheça a aconchegante e charmosa Santo Antônio do Pinhal

Fotos: Miguel Schincarol/Agência Perspectiva

Que tal passar este final de semana prolongado curtindo o ar puro e friozinho na serra? Se você gostou da ideia, a dica é a pequena, aconchegante e hospitaleira Santo Antônio do Pinhal. Vizinha de Campos de Jordão, a cidade é um refúgio para quem ficar longe de badalações.  Localizada a 1.143 metros acima do nível do mar, o município ficou famoso por suas araucárias e sua semente: o pinhão.

O festival do pinhão atrai turistas de todo o País que vão se deliciar com as comidas típicas (o prato mais apreciado é o escondidinho de pinhão), apreciar o artesanato local e assistir aos shows tradicionais e diversas atrações culturais. Outro festival bastante concorrido é o da truta. Durante os dias do evento, os restaurantes servem pratos saborosos e exóticos que agradam o paladar mais exigente. Também atrai muitos turistas para a região, a festa de peão de boiadeiro que traz atrações como montaria em touros, apresentação de shows e encontros de cowboys.

Além dessas festas que colocaram a cidade no roteiro dos turistas, o município de Santo Antônio do Pinhal se tornou conhecido pelas suas fontes de água. Segundo a cultura popular, quem bebe água direto da fonte realiza seus desejos. Pelo sim, pelo não, conheça as fontes Santo Estevão (água ferruginosa), São Geraldo (magnesiana) e Santo Antônio (fracamente radioativa e de agradável sabor).  A primeira fica próxima à biblioteca municipal no centro da cidade; a São Geraldo está localizada logo na entrada, do lado direito da estrada no sentido à estação Eugênio Lefréve; e a de Santo Antônio está em frente à praça Benedito Marcondes Raposa.

  • Pontos turísticos

Os picos e cachoeiras que formam o cenário de Santo Antônio do Pinhal são um convite para os amantes dos esportes radicais e da natureza. Com 1.634 metros de altitude e considerado um dos melhores pontos de vôo livre do Brasil, o Pico do Agudo sedia diversas etapas dos campeonatos brasileiro e paulista desse esporte. Você pode ter a mesma sensação de liberdade desses aventureiros. Basta procurar um dos instrutores de paraglyding que oferecem vôo duplo ou cursos de formação – em um mês, é possível voar sozinho.

O pico também é um excelente passeio para aqueles que preferem ficar com os pés no chão. Do alto, é possível ver desde a Pedra do Baú, em São Bento do Sapucaí, até o Vale do Paraíba, onde, a olho nu, em dias claros, se avista a cidade de São José dos Campos e a Basílica de Aparecida.

Santo Antonio do Pinhal ainda é entrecortado por cachoeiras. As mais conhecidas são as do Lageado e a do Cassununga. A primeira fica a sete quilômetros da cidade e é bastante movimentada nos finais de semana. Com espaço para piqueniques e poço para banhos, é procurada para a prática de rapel. Já Cassununga, fica a 15 quilômetros, é bastante tranquila e perfeita para um passeio a dois.

Para quem prefere atividades mais tradicionais, a cidade oferece trilhas leves para caminhadas, passeios de bicicleta e cavalgadas. A trilha das Cruzes parte do centro da cidade, tem cerca de um quilômetro e é toda calçada. Outra opção é a Recanto das Águas, com dois quilômetros de extensão em meio a mata aberta. Se você tiver bom preparo físico, faça também as trilhas do Tropeiro e do Zigue-zague. Na primeira, você caminhará cerca de cinco quilômetros no meio da mata fechada. Se quiser, aproveite para dar uma esticada até a cachoeira do Cassununga. Com dez quilômetros de extensão, a trilha do Zigue-zague passa por trechos de mata aberta e fechada e dá acesso à cachoeira do Lageado.

Se ainda restar energia e disposição, reserve um tempinho para conhecer o Jardins dos Pinhais Ecco Park, o primeiro parque de jardins temáticos do Brasil. Você poderá apreciar oito tipos de jardins: montanhês, japonês, canadense, italiano, jardim dos beija-flores, das bolhas, desértico e tropical. Os ambientes retratam ecossistemas diferentes e exalam a beleza e o encanto das espécies de plantas de diversos lugares no mundo. A visita é feita com acompanhamento de monitores.

Outra opção é o parque linear das águas. Em seu percurso, que começa na praça do Artesão e termina na Praça José Jacintho de Faria, existem painéis explicativos sobre os ciclos da água. O parque conta ainda com uma academia de ginástica ao ar livre, onde os visitantes e moradores da cidade podem se exercitar curtindo o agradável clima da serra.

  • Estação bondinho


Chamada carinhosamente de “Estação do Bondinho”, a estação Eugênio Lefévre inaugurada em 1919, é um marco na história ferroviária do Brasil. Dali, parte o trem que leva até Campos do Jordão. A paisagem é de tirar o fôlego. Durante o percurso o trem faz paradas em diversos pontos turísticos, como o ponto férreo mais alto do País no Alto do Lageado, além de outras escalas mais rápidas para fotos e filmagens. Junto à estação, você encontrará o Mirante Nossa Senhora Auxiliadora, de onde é possível apreciar as paisagens da Serra da Mantiqueira.

A cidade possui outras construções históricas. A igreja de Santo Antônio, por exemplo, data de 1836 e está muito bem conservada. O imóvel começou a ser construído em 1811, quando Santo Antônio do Pinhal era apenas um vilarejo na rota dos tropeiros que cruzavam o estado de São Paulo em direção à Minas Gerais. Todos os anos, no dia 13 de junho, é realizada uma grande festa em homenagem ao santo padroeiro da cidade.

  • Como chegar


Distante a 160 quilômetros da Capital, existem duas opções para chegar a Santo Antônio do Pinhal. O acesso pode ser feito de carro saindo de São Paulo, pela Rodovia Ayrton Senna (SP-070) ou pela Rodovia Presidente Dutra (BR-116). A Rodovia Monteiro Lobato (SP-050), é a opção para quem vem das cidades vizinhas como Campos do Jordão e São Bento do Sapucaí.

Para conferir como está o trânsito nas estradas, acesse os sites da Secretaria Transportes (http://www.transportes.sp.gov.br) e do DER (http://www.der.sp.gov.br). O internauta pode ver o fluxo graças às 33 câmeras espalhadas pelo Estado que transmitem imagens em tempo real.

Jardim Romano: Av. Tomás Lopes de Camargo, o antes e o depois

Como mostrei em post recente, algumas vias do Jardim Romano estão destruídas devido o intenso tráfego de caminhões. Um bom exemplo disso é a Avenida Tomás Lopes de Camargo. Conhecida pelos moradores como Central, a rua é uma das principais do bairro. Por ela circula as linhas de ônibus Jd. Romano-Penha (273j-10) e Jd. Romano-A. E. Carvalho (273j-21). Além do transporte público, os veículos pesados responsáveis pelas obras que acontecem no bairro dominaram a avenida, que antes era uma das mais bem cuidadas da região. Com a ferramenta Google Street View, podemos observar como a via era antes.

Antes: Google Street View

Hoje: Felipe Godoy



Agora, é aguardar o fim das obras e ver se a Construtora Queiroz Galvão, responsável pelo Dique, sanará os danos.

Ata-me

Rick (Antônio Bandeiras) é um ex-interno de um reformatório psiquiátrico que anseia em encontrar seu antigo amor: Marina (Victória Abril), uma atriz pornô, drogada, com quem passou uma noite no passado. Ao encontrá-la, a mantém amarrada até que ela aprenda a amá-lo. Uma história de amor que se inicia com violência, mas que muda seu rumo após adversas situações. Um filme intenso e arrebatador, assim como outras obras do diretor espanhol Pedro Almodóvar.

Direção: Pedro Almodóvar

País: Espanha

Ano: 1989

Duração: 97 min.

 

Um, dois, três… os sete erres da Sustentabilidade

photo express

Reduzir, Reutilizar e Reciclar, essas três palavrinhas são conhecidas por compor o conceito dos “três erres”. Apesar de já estar bem difundido, frequentemente, surgem muitos outros erres para fazer parte desta composição. O três erres sugerem a adoção de hábitos simples, que podem ajudar a diminuir nossa pegada ecológica no planeta, contribuindo para a geração atual e para as vindouras. Conheça-os e pratique-os:

  • Repensar: de acordo com o Dicionário Michaelis, a palavra pensar significa (1) combinar ideias; raciocinar; refletir; (2) editar, refletir em; (3) julgar, supor; (4) estar preocupado; (5) cogitar. Com essa definição, podemos concluir que ‘repensar’ é pensar duas vezes antes de uma ação. Este conceito preconiza uma análise crítica da necessidade de algum produto, antes de comprá-lo. Nem tudo o que consumimos é realmente indispensável, muitas das vezes compramos certas ‘coisas’ por influências midiáticas ou externas.

 

  • Recusar: após repensar e perceber que a compra de alguns produtos não são necessários, simplesmente recuse-os. Rejeite, também, produtos que agridam o meio ambiente como sacolas plásticas para o transporte de compras.

 

  • Reduzir: se a compra do produto for indispensável, adquira-o de forma racional. Procure consumir aquilo que possua maior durabilidade e que evite o desperdício.

 

  • Reutilizar: após reduzir o consumo, que tal reutilizar aquilo que for possível? Papéis velhos podem virar rascunhos, latas de alumínio portas-trecos e muitos outros objetos tornam-se verdadeiras peças de arte com técnicas artesãs.

 

  • Reciclar: caso não dê para reutilizar, procure reciclar. Na hora de jogar fora o lixo de sua casa, não se esqueça de separar os resíduos comuns dos produtos recicláveis como papel, plástico, vidro e metal. Óleo de cozinha usado, cartuchos de impressoras, pilhas, baterias, CDs, DVDs e radiografias também podem ser reciclados, procure o posto de coleta mais próximo de sua residência.

 

  • Reparar: antes de jogar fora algo que quebrou, tente arrumá-lo. Na maioria das vezes, o conserto é mais barato do que a compra de um novo produto.

 

  • Reintegrar: produtos orgânicos que não podem ser reciclados como restos de alimentos devem ser reintegrados à natureza. Uma boa dica é produzir compostagem com as sobras, que deixará seu jardim, horta ou pomar muito mais bonito.

O Amor e Outros Estranhos Rumores

Há cinco anos em cena, a produtora Grupo 3 de Teatro traz a originalidade, o humor e o absurdo das obras dos escritor mineiro Murilo Rubião ao palco. O espetáculo O Amor e Outros Estranhos Rumores é composto por três contos do autor, adaptados por Silvia Gomez, sob direção de Yara de Novaes. O tradicional Teatro da Universidade Católica (TUCA) abriga a peça, que conta com os atores Débora Falabella, Maurício de Barros, Rodolfo Vaz e Priscila Jorge.

Considerado mestre da literatura fantástica brasileira, Murilo Rubião (1916-1991) teve três contos selecionados para essa encenação: O Contabilista Pedro Inácio, cujo personagem contabiliza os custos de um amor; Bárbara, em que um marido resignado se vê diante dos pedidos incessantes e nada comuns da esposa, que engorda a cada desejo satisfeito; e (Três Nomes Para) Godofredo, uma interpretação aguda sobre o casamento e a solidão. As histórias, engraçadas e absurdas, expressam o quanto há de ordinário e, ao mesmo tempo, extraordinário em nossas vidas.

A obra de Murilo Rubião permaneceu ignorada pelo grande público durante cerca de três décadas. Somente com a reedição do livro O Pirotécnico Zacarias, em 1974, o autor é reconhecido, arrematando a admiração de intelectuais do porte de Mário de Andrade.

O Grupo 3 de Teatro foi formado por Débora Falabella, Gabriel Paiva e Yara de Novaes que, assim como o inspirador de O Amor e Outros Estranhos Rumores, são mineiros.  O grupo ganhou destaque internacional com a peça A Serpente, encenada na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema.

Na equipe de criação do espetáculo, André Cortez é o cenógrafo, Morris Picciotto compôs a trilha sonora, a iluminação é de Fabio Retti e Fábio Namatame assina figurinos e visagismo. A adaptação ficou a cargo de Silvia Gomez, autora de O Céu Cinco Minutos Antes da Tempestade. A direção de produção é de Gabriel Fontes Paiva.

Informações:
Local: Teatro TUCA – PUC-SP
Endereço: Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes
Data: até 28 de novembro de 2010
Horário: sexta e sábado, 21h30; domingo, 19h
Duração: 70 minutos
Lotação: 672 lugares
Recomendação: 12 anos
Preços populares: R$ 30,00 (inteira); R$ 15,00 (meia-entrada para estudantes, pessoas com mais de 60 anos e aposentados)
Tel.: (11) 2626 0938
www.teatrotuca.com.br
www.compreingressos.com

 

Festival do Livro e da Literatura de São Miguel

« Previous entries