Archive for dezembro, 2010

Réveillon na Paulista: o espetáculo para quem não vai sair da capital

A 14° edição do Réveillon na Paulista, uma das festas de réveillon mais tradicionais do Brasil, promete ser inesquecível. A festa deve reunir 2 milhões de pessoas, que irão assistir aos shows de Fábio Jr., Fiuk e Banda Hori, Zezé Di Camargo e Luciano, Barra da Saia, Capital Inicial e a Escola de Samba Rosas de Ouro, campeã do carnaval paulista em 2010. Neste ano, o tema da festa é “São Paulo, a nossa obra de arte”. Inspirado na famosa frase de Mahatma Gandhi “A arte da vida é fazer da vida uma obra de arte”, o evento pretende homenagear os habitantes de São Paulo que, de alguma forma, contribuem com a produção de arte na cidade. O palco de 800 m² terá 27 metros de altura. Além disso, 13 telões serão espalhados ao longo da avenida, para garantir ao público a visualização plena dos shows. Ao todo, 25 geradores vão garantir energia para os mais de 700 mil watts de som e efeitos especiais – como a chuva de cinco milhões de confetes metalizados que foi planejada. Um show de luzes e 15 minutos de queima de fogos de artifício anunciarão a chegada de 2011.

As comemorações da virada terão início às 20h do dia 31 de dezembro e avançarão até às 2h30min do dia 1º de janeiro, sob o comando do ator Luigi Baricelli. Para garantir o conforto e segurança de todos, mais de quatro mil e quinhentas pessoas estarão atuando, direta e indiretamente, para realizar desde a montagem e desmontagem das estruturas até a realização dos shows que animarão o público.

Segurança

Serão 2.900 agentes da Polícia Militar, Guarda Civil Metropolitana e seguranças particulares atuando em toda a região da Paulista, com o apoio de viaturas, motocicletas, bases comunitárias e do helicóptero Águia. Além disso, 10 câmeras de vigilância com acionamento por controle remoto ajudarão a monitorar a festa. Não será permitida a entrada de materiais pontiagudos, cortantes ou garrafas durante o evento, por isso a vistoria de bolsas e mochilas será feita em toda a extensão da avenida. O público que participar da festa poderá ficar tranquilo quanto à alimentação e bebida, pois 80 quiosques serão instalados entre as ruas Ministro Rocha Azevedo e a Alameda Campinas.

Transporte

A melhor opção ainda é o transporte público. O sistema vai operar de forma ininterrupta com embarque e desembarque até às 2h do dia 1º de janeiro. Após este horário, as estações Paraíso (Linha 1 – Azul), Brigadeiro e Consolação (Linha 3 – Verde) ficarão abertas somente para embarque. As demais permanecem funcionando apenas para o desembarque. A frota de trens será reforçada e haverá aumento no contingente de operadores de tráfego e seguranças. A orientação do Metrô é para que os usuários comprem antecipadamente os bilhetes de embarque, para evitar filas e facilitar o acesso.

Números do evento

Trezentos e cinquenta banheiros químicos serão distribuídos em pontos estratégicos da avenida. Dez ambulatórios médicos com materiais e equipamentos de pronto atendimento, dez bases comunitárias da Polícia Militar e dez ambulâncias com médicos e enfermeiros e UTI móvel estarão disponíveis ao longo dos dois quilômetros da avenida. São aguardados cem mil turistas para o evento.

Assim, se você não for viajar no feriadão, aproveite a chance e participe da festa na mais paulista das avenidas. Com certeza você não se arrependerá!

Anúncios

Fama à Mesa

Reprodução

Se você gosta de gastronomia e já se perguntou quais os pratos favoritos de pessoas famosas não pode deixar de ler Fama à Mesa.  Na obra, Fabiano Dalla Bona apresenta receitas a partir dos gostos de celebridades e também em homenagem a elas.

O autor organizou as receitas em seis capítulos: homens famosos, mulheres famosas, grandes escritores e personagens literários, receitas musicais, receitas da realeza e drinques. A lista vai do rei francês Luís XV à ex-miss Brasil Marta Rocha, passa pelo cozinheiro português Gomes de Sá, o tenor italiano Pavarotti, o cantor norte-americano Frank Sinatra e o compositor carioca Tom Jobim.

Entre os casos curiosos relatados no livro está a sopa Leão Velloso, aparentemente uma adaptação da clássica sopa francesa bouillabaisse, à base de frutos do mar, só que sem açafrão e elaborada com produtos locais. Outra boa pedida para servir em um jantar com amigos é o filé a Oswaldo Aranha, um prato muito apreciado pelo político homenageado, feito com filé malpassado e alho frito, acompanhado de arroz, farofa e batatas. Vários personagens brasileiros estão no livro, em receitas como o frango atropelado de Tom Jobim. A leitura é um  passeio pelas cozinhas de diversos países. Seja quando conta a história da pavlova, criada na Austrália em homenagem à bailarina russa Anna Pavlova, do strogonoff, elaborado pelo médico russo homônimo, como também da bucatini Alla Caruso que, segundo a tradição, foi imaginada pelo tenor italiano, a obra deixa o leitor com água na boca.  Uma compilação repleta de gostosuras que foram dignas de entrar para a história, assim como os personagens que as nomeiam.

Autor:  Fabiano Dalla Bona

Editora: Tinta Negra

Ano: 2010

Páginas: 184

Avenida no Jardim Romano é recuperada

O Natal neste ano foi diferente para os moradores do Jardim Romano, bairro da zona leste da capital paulista. Ao contrário do ano anterior, famílias não passaram o feriado submersas pela enchente. Outra boa notícia foi a recapagem da Avenida Tomás Lopes de Camargo, conhecida como Central. Como denunciei recentemente aqui no Blog (http://acessa.me/aeec), o intenso tráfego de caminhões causou diversos danos no asfalto da via. O descaso também foi destaque no blog dos estagiários do jornal O Diário de S.Paulo (http://acessa.me/adgm). Um belo presente aos moradores da região!

Foto: Felipe Godoy

O Labirinto do Fauno



Reprodução

Espanha, 1944. Oficialmente, a Guerra Civil já terminou, porém um grupo de rebeldes anarquistas e republicanos ainda luta nas montanhas ao norte de Navarra. A pequena Ofélia (Ivana Baquero), de apenas dez anos, parte para região com sua mãe Carmen (Ariadna Gil). Lá, seu novo padrasto, um sanguinário capitão fascista que combate os guerrilheiros, as espera. Nesse violento cenário, durante uma de suas expedições pelo imenso jardim da mansão em que mora, a menina encontra um labirinto em que vive um fauno – figura mitológica romana, com pés e chifres de bode. Após examiná-la minuciosamente, o fauno afirma ser ela a princesa do reino subterrâneo do qual o labirinto é apenas o portal. Um universo mágico, que traz consequências a todos em seu redor.

Direção: Guillermo del Toro

País: México, Espanha e EUA

Ano: 2006

Duração: 112 min.

Câncer de pele lidera ranking de cirurgias reparadoras realizadas no Icesp

Um dado importante pode ajudar muitas pessoas a ter atenção redobrada quando o assunto é exposição ao sol e cuidados com a pele. Levantamento realizado pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), órgão ligado à Secretaria de Estado da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP, apontou que cerca de 60% das cirurgias plásticas reparadoras realizadas na instituição são para recuperação de áreas afetadas pelo câncer de pele.

Em média são realizadas no Icesp cerca de 100 cirurgias plásticas, mensalmente. Desse total, mais da metade corresponde a tumores dermatológicos.

O levantamento apontou ainda que, devido à exposição ao sol, 80% das neoplasias na pele atendidas no Instituto são na região da cabeça e do pescoço. O câncer de mama aparece logo em seguida no ranking das cirurgias plásticas reparadoras, com 23% dos atendimentos.

O procedimento é realizado junto com a retirada do tumor. Este processo reduz o tempo de internação, melhora a qualidade de vida do paciente, ajuda-o a enfrentar o tratamento pós-operatório e agiliza o retorno às suas atividades diárias. Do total de pacientes que passaram por intervenções plásticas no Icesp, 80% não precisaram realizar duas cirurgias, pois a reconstrução é imediata e acontece logo após a retirada do câncer.

No caso de reconstruções na face, a intervenção imediata ajuda a manter funções básicas, como a fonação e degustação, além de abreviar o tempo de oclusão dos olhos e minimizar choques estéticos, elevando a auto-estima do paciente. Cirurgias plásticas imediatas nas extremidades (pernas e braços) reduzem as chances de amputação dos membros, evitando a mutilação permanente.

“A cirurgia plástica reparadora contribui muito para a qualidade de vida do pacientem, porém é muito importante que todos se cuidem para evitarmos dados alarmantes como o do câncer de pele”, afirma o coordenador do Serviço de Cirurgia Plástica do Icesp, Fábio Busnardo.

Prevenção

Cuidar de pintas que aparecem pelo corpo e ficar atento a manchas na pele são fundamentais para evitar o câncer de pele. E muitos destes sinais, por mais inofensivos que possam parecer, merecem atenção. Com alguns cuidados é possível prevenir a doença.

Pintas podem ser congênitas ou surgir ao longo da vida. A maior parte das marcas não traz complicações ao paciente e apenas as de grandes dimensões (superior a 20 cm), apresentam probabilidade de se transformarem em câncer. Independentemente do tamanho da pinta, é muito importante procurar avaliação médica. Por meio da análise clínica, o médico saberá indicar se aquela marca deve ser retirada ou apenas seguir o acompanhamento.

A maioria dos sinais aparece durante a juventude. Em grande parte, a exposição solar é uma importante aliada para o aumento do volume de pintas pelo corpo. É recomendável evitar exposição excessiva à luz solar, principalmente entre 10h e 15h.

Além disso, é preciso observar qualquer modificação nas pintas e manchas. Os sinais mais comuns relacionados ao surgimento do câncer de pele são as alterações da coloração (variações de tonalidade de marrom, preto, vermelho ou azul), áreas com perda da pigmentação, alterações de tamanho, presença de bordas irregulares, alterações na superfície (áreas de elevação súbita ou feridas), e coceira e dor local. Pintas que coçam ou apresentam inflamação local também devem ser avaliadas

Instituto do Câncer promove apresentação de coral e visita do Papai Noel para pacientes em tratamento

Os pacientes que passam por tratamento no Instituto do Câncer Octavio Frias de Oliveira, ligado à Secretaria da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP, terão um Natal todo especial a partir desta quinta-feira, 16, com a realização de uma série de atividades.

As comemorações começam pela apresentação de um coral natalino, aberto à visitação do público e voltado, principalmente, àqueles que estão lutando contra a doença.

A apresentação musical acontecerá nesta quinta e sexta-feira, às 17 horas, no saguão principal do Instituto. Com um repertório natalino, a ação é promovida pelos próprios colaboradores do Instituto, que fazem parte do coral organizado pelo hospital.

Na segunda-feira, 20, haverá a visita do Papai Noel, que visitará todas as áreas de internação, quimioterapia e recepções da unidade. A ação é promovida pelo grupo de voluntários do hospital e acontece a partir das 9 horas. O personagem distribuirá presentes e panetones para todos os pacientes dessas áreas. Os brindes distribuídos foram doados por colaboradores e empresas.

Cozinha experimental 

Já na terça-feira, 21, será a vez de pacientes e acompanhantes colocarem a mão na massa. A Cozinha Experimental, promovida pela equipe de Nutrição do Icesp, irá ensinar os presentes a preparem biscoitos natalinos. Na quarta-feira, 22, será a vez dos colaboradores preparem o presente. Tudo o que for produzido será distribuído para os pacientes internados. A idéia é que sejam feitos mais de 1.000 biscoitos.

“Ações como essas são muito importantes para os pacientes, que passam por um momento delicado no tratamento contra o câncer. Poder levar essa alegria, em especial na época do Natal, é uma alegria e satisfação enorme”, afirma Eliana Ribas, coordenadora de Humanização do Icesp.

11 de dezembro – Dia do Engenheiro

11 dezembro – Dia do Arquiteto

9 de dezembro – Dia do Fonoaudiólogo

Um ano depois: famílias vitimadas pelas enchentes recebem termo de habitação definitivo

Milton Michida

No último domingo (5), completou um ano que regiões do extremo leste da capital paulista ficaram alagadas. Nesta segunda (6), famílias do Jardim Pantanal, Jardim Romano e Parque das Flores, principais áreas atingidas, receberam o Termo de Atendimento Habitacional Definitivo. A medida beneficiou 1.047 famílias. Naquela ocasião, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) realizou um atendimento emergencial concedendo benefícios dos programas Auxílio-Moradia Emergencial e Novo Começo.

“(A enchente) é um problema na cidade de São Paulo, e também na Região Metropolitana, que só pode ser resolvido com a integração de todos os níveis de governo: municipal, estadual e federal. Nós temos que investir em desassoreamento dos rios, limpeza de córregos, bueiros. Temos que investir em habitação, evitar que as pessoas sejam obrigadas, pela miséria em que vivem, a irem para áreas de risco, várzeas de rios, encosta de morros, ao lado de córregos. Isso é o que precisamos evitar. Porque o custo depois, de vida e o econômico, é muito alto”, disse o governador Alberto Goldman.

Foram entregues 476 termos. Outros 571 documentos serão entregues aos demais beneficiados em breve. As famílias foram selecionadas segundo ordem de remoção.

Secretaria da Saúde lança guia de serviços voltados a idosos na zona leste de SP

A Secretaria de Estado da Saúde, por meio do Instituto Paulista de Geriatria e Gerontologia (IPGG), lançou um guia de serviços voltados ao atendimento de idosos da zona leste de São Paulo, nas mais diferentes áreas.

Intitulado de Rede Solidária à Pessoa Idosa, o guia foi feito em parceria com instituições públicas e da sociedade civil nas regiões de Ermelino Matarazzo, São Miguel Paulista e Itaim Paulista. Separado em tópicos (Assistência Social, Cidadania, Educação e Cultura, Esporte e Lazer, Saúde, Segurança e Justiça), o guia reúne de maneira prática e didática os serviços da região, formando uma espécie de rede de serviços. 

Inicialmente, serão distribuídos 500 exemplares à população local. Além disso, todos os participantes da rede receberão, em mídia digitalizada, uma cópia do guia.  O material também está disponível no blog http://repi-leste.blogspot.com.

O IPGG desenvolve atividades de assistência à saúde e de convivência para idosos e fica na Praça Padre Aleixo Mafra, 34 – São Miguel Paulista – São Paulo/ SP.

Exposição virtual sobre a Revolta da Chibata exibe 230 imagens, artigos e notícias da época

Arquivo Público: Marechal Hermes da Fonseca é empossado como presidente da República

No ano que o fato histórico completa cem anos, Arquivo Público do Estado de São Paulo apresenta a exposição online “A Revolta da Chibata”. Com objetivo de divulgar documentos de seu acervo sobre o tema, a entidade lança um olhar para as questões dos direitos da cidadania que envolveram este episódio da história do Brasil.

A exposição também apresenta a história de um dos protagonistas da Revolta da Chibata, o marinheiro João Cândido. Porém, não se pode deixar de ressaltar que esse episódio contou com a participação de outros marinheiros também descontentes com sua situação dentro da Marinha e que aderiram à causa.

Navegando pelas nove salas da exposição, o usuário poderá visualizar cerca de 230 ilustrações da imprensa da época, artigos e notícias de jornais e revistas, assim como textos mais recentes que tratam de diversos temas: os ideais republicanos, a situação dos marinheiros, o estopim, as negociações e o desfecho da Revolta, a importância da imprensa e as ações tomadas após o conflito.

Para ver a exposição, acesse o site Arquivo Público do Estado.

Boa ideia: USP lança banco de imagens aberto e online

www.imagens.usp.br

 

A Coordenadoria de Comunicação Social (CCS) da USP está lançando nesta semana o site Imagens USP, que reúne e disponibiliza ao público imagens feitas por fotógrafos de toda Universidade. O site, que já pode ser acessado e conta com cerca de 4 mil arquivos, é um banco de imagens aberto e online, alimentado pelos próprios fotógrafos, com fotos de professores, prédios, pesquisas, exposições, espetáculos; enfim, de uma diversidade de assuntos relacionados à USP. A iniciativa é uma resposta à grande demanda principalmente por parte da imprensa, mas também do público em geral, por imagens da Universidade.

As várias unidades da USP têm suas próprias assessorias de imprensa e equipes de fotógrafos. Essa fragmentação permite que muito material fotográfico sobre as escolas, faculdades e institutos da Universidade seja produzido, mas, paradoxalmente, dificulta o acesso a ele, já que cada unidade decide como e se vai compartilhá-lo. O site foi pensado com o objetivo de reunir este material.

O uso é simples: basta acessar o endereço www.imagens.usp.br, procurar a imagem desejada (há busca por palavras-chave, tema e unidade), clicar para exibi-la em alta resolução e salvá-la. Todas as imagens estão sob licença Creative Commons – ou seja, o uso e a distribuição são livres, contanto que as obras sejam corretamente creditadas.

Cinema Paradiso

O cineasta Salvatore di Vita apaixonou-se pelo cinema ainda na infância. Na época, em uma cidade Siciliana, o então menino, conhecido pelo apelido de Totô, hipnotizou-se pelo cinema local e criou um forte laço de amizade com o projecionista Alfredo, um homem aparentemente bravo, mas que tinha um grande coração. Essas lembranças voltam quando Salvatore recebe um telefonema de sua mãe com a notícia: Alfredo está morto.

A maestria de Giuseppe Tornatore na direção e a belissíma trilha sonora de Ennio Morricone, consagraram Cinema Paradiso como uma das obras mais emocionantes e belas da história do cinema.

Direção: Giuseppe Tornatore
País: Itália
Ano: 1988
Duração: 123 min.

Deixe o mau humor de lado, rir é sim o melhor remédio

Morguefile

Dificuldades em sentir prazer, mau humor repentino, estresse, pavio curto e um leve pessimismo podem ser alertas de que algo está errado, mas nem sempre representam um quadro grave ou alarmante. Segundo o psiquiatra Ricardo Moreno, do Hospital das Clínicas da FMUSP, para que esses sintomas sejam diagnosticados como doenças ou síndromes é necessária uma ampla avaliação médica.
“Não podemos confundir o mau humor normal com um problema crônico, ou seja, com uma doença que afeta a pessoa por diversos dias seguidos”, alerta o especialista do Instituto de Psiquiatria do HC. Segundo ele, é natural que, de vez em quando, as pessoas apresentem uma ligeira variação de humor, e isso só deve preocupar quando o quadro permanecer por 15 dias ou mais.
A síndrome conhecida como distimia é a que mais confunde alguns mal humorados, que pensam estar doentes sem, necessariamente, estar. “Isso ocorre porque a distimia não precisa de um gatilho bem definido para aparecer”, explica Ricardo Moreno. A distimia é uma forma de depressão mais leve, que atinge 5% da população mundial, e se manifesta por sintomas como: baixa auto-estima, situações de desamparo, baixa tolerância, excesso de melancolia, irritabilidade e alterações constantes de pensamento. “São sintomas de intensidade mais leve se comparado com episódios depressivos, mas que atormentam a pessoa por dezenas de dias seguidos”, explica.
Quando não tratada e controlada, a distima leva à depressão aguda em 80% dos casos. “A maior incidência é no ‘adulto jovem’, entre 20 e 25 anos, pois além de ser o período mais produtivo da vida, a personalidade da pessoa já se formou”, observa.
O indivíduo com distimia não é impedido de realizar atividades do dia-a-dia, como trabalhar ou estudar. Ao contrário, ele deve tentar manter suas tarefas. Entretanto, um fator importante para diagnosticar a síndrome está no caso do paciente apresentar queda de rendimento nas atividades diárias. “Esses sintomas permanecem a maior parte do tempo e causam prejuízo e sofrimento para o indivíduo, em nível psicológico, nos relacionamentos e na vida profissional”, afirma.

Importância do diagnóstico

O psiquiatra alerta que, assim como algumas pessoas se dizem distímicas sem serem, muitos também ignoram a doença acreditando estar apenas mal humoradas. “Caso haja frequência nos sintomas e crie-se a suspeita da síndrome, a melhor opção é buscar o auxílio de um especialista”, adverte Moreno, lembrando que o diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento.
A distimia não tem cura, mas como qualquer outro tipo de depressão, pode ser controlada. O tratamento é duradouro, à base de medicamentos e abordagens psicológicas e psicoterapêuticas. “Mesmo que o indivíduo venha a ter uma melhora significante, é importante persistir no tratamento, para evitar o aparecimento de novos episódios”, esclarece.