Solo

Com audaciosa imaginação e brilhantismo lírico, Rana Dasgupta pinta um retrato do século XX por meio da história de um cego centenário. No primeiro movimento de Solo, conhecemos o búlgaro Ulrich, filho de um engenheiro ferroviário. Ele tem duas grandes paixões: o violino e a química. Rejeitado pelo pai, Ulrich vai à Berlim de Einstein para estudar com Fritz Haver. Porém, quando a fortuna da família evapora, ele tranca o curso e volta a Sófia para cuidar dos pais. Ulrich nunca mais deixa a Bulgária, exceto em seus devaneios – e são estes os sonhos que conhecemos no volátil segundo movimento do livro. Em um salto radical do passado para o presente, da vida vivida para a vida imaginada, Dasgupta segue com a fantasia infantil de Ulrich, nascido do comunismo, mas trilhando seu caminho no mundo pós-comunista marcado pelas celebridades e pela violência. Entrelaçando ciência e desgosto, o velho e o novo mundo, o real e o imaginário, Solo anuncia a voz de um virtuose da literatura.

Autor: Rana Dasgupta

Ano: 2011

Páginas: 352

Editora: Benvirá

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: