Conquista do povo: Governo entrega obras de urbanização em São Miguel Paulista

Fotos: José Luis da Conceição

O Governo de São Paulo entregou quinta-feira, 23, obras de urbanização realizadas pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional (CDHU) dentro do Projeto Pantanal. Mais 2.915 lotes urbanizados, além da conclusão da canalização do Córrego Jacu e do término da restauração de fachadas de 1.476 moradias em União de Vila Nova. O investimento nessas obras é da ordem de R$ 105 milhões, dos quais R$ 65 milhões são do Governo do Estado.

A revitalização de moradias já existentes na área está sendo feita por meio do Programa “São Paulo de Cara Nova”, que prevê a recuperação das fachadas dos imóveis. As paredes externas são rebocadas, chapiscadas e pintadas, de acordo com projeto cromático assinado pelo arquiteto Ruy Ohtake. A próxima fase será a reforma de mais 3,5 mil residências, que já está em processo de licitação.

A urbanização do núcleo União de Vila Nova teve impacto direto na qualidade de vida dos moradores, inclusive, com queda dos índices de violência. O novo bairro hoje conta com sistema viário, pavimentação, calçadas, obras de drenagem, paisagismo, praças, campo de futebol, quadra poliesportiva, pista de skate, pista de caminhada, playgrounds, anfiteatro, bicicletário, horta comunitária e dois parques. Funcionam no local seis escolas e duas unidades de saúde.

As obras de urbanização também geraram empregos para a população local. Dos 350 trabalhadores que atuam no canteiro, 210 foram contratados no próprio bairro. Além da oportunidade profissional, eles participaram de um curso de alfabetização promovido pelo empregador.

Projetos Sociais

Além das obras de urbanização e da construção e recuperação de moradias, a CDHU desenvolve um amplo trabalho social junto à comunidade. São 14 frentes de atuação voltadas à cidadania, cultura, promoção da autonomia e emancipação comunitária, requalificação profissional, geração de renda e sustentabilidade.

Um dos exemplos mais bem sucedidos é a Cooperativa de Reciclagem Nova Esperança. O trabalho iniciado pela comunidade ganhou fôlego com a construção, pela CDHU, de um novo galpão. O local melhorou as condições de trabalho dos cooperados, o que resultou na ampliação da coleta, no aumento da produção e da renda e na integração de 20 novos moradores ao projeto. Além do impacto direto na limpeza das ruas, o ganho médio de cada cooperado saltou de R$ 195 para R$ 512 mensais.

Outro bom exemplo são as aulas de corte e costura, ministradas na Escola de Artes e Ofícios. O conteúdo do curso foca a formação e incubação de grupos produtivos comunitários em técnicas de costura e artesanato. Além do conhecimento adquirido em sala de aula, os participantes são estimulados a tornar o aprendizado uma fonte de renda.

O Viveiro Escola forma moradores para atuar como viveiristas e paisagistas comunitários. O curso deu base para o módulo de “Formação em Zeladores de Praça”, realizado em parceria com subprefeitura de São Miguel Paulista. Dez participantes recebem hoje bolsa de um salário mínimo par cuidar das praças do bairro.

Projeto Pantanal

O Projeto Pantanal é uma ação integrada do Governo do Estado, desenvolvida em uma área de cerca de 900 mil m², onde estão localizados os núcleos União de Vila Nova e Vila Nair e os empreendimentos Vila Jacuí A e B. Trata-se de um projeto completo de atendimento habitacional que prevê construção de novas moradias e obras de urbanização, como implantação de redes de água, esgoto, drenagem e energia elétrica, iluminação pública, pavimentação, paisagismo, sistema de lazer e canalização de córregos. A intervenção está beneficiando 8.300 famílias.

Uma conquista do povo

Deve-se ressaltar que todas as obras realizadas na região são resultados da luta da comunidade pelas mudanças. Recentemente, o telejornal SPTV, da Rede Globo, fez um série de reportagens sobre o bairro, e mostrou como é possível alcançar resultados coletivos, desde que as pessoas se unem para isso.

O Pantanal é conhecido assim devido aos alagamentos que ocorriam região antes das reformas. Anualmente, centenas de pessoas perdiam seus bens para as águas do Córrego Jacu e do Rio Tietê. Após lutarem pelos seus direitos, os moradores conseguiram que o governo investisse e revitalizasse a região. Quem passa por lá de trem, pelos trilhos da linha Safira da CPTM, antiga Linha F, percebe as mudanças. Hoje, a União de Vila Nova e Vila Nair parecem um canteiro de obras. Várias ruas foram asfaltadas, casas receberam energia elétrica e água e esgoto tratados.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: