Piada do mês: Famílias do Jardim Romano recebem Auxílio-EMERGENCIAL

Foto: Sérgio Andrade

Durante os meses de dezembro (2009), janeiro e fevereiro (2010), várias ruas do Jardim Romano e bairros próximos ficaram alagadas. Agora, meses depois das ruas já estarem secas, o governo do Estado, em parceria com a prefeitura de São Paulo, anunciou a liberação do Auxílio-Moradia Emergencial e do Programa “Novo Começo” às famílias atingidas pelas chuvas.

A medida foi anunciada no início de julho. No evento, também foram realizadas as assinaturas do edital de licitação para a construção de 282 unidades habitacionais e do DIS (Decreto de Interesse Social) de oito áreas, ambos em terrenos na região.

Segundo o governo do Estado as primeiras 300 famílias beneficiadas receberam R$ 1.300, referentes à primeira parcela de R$ 300 do Auxílio-Moradia Emergencial e uma parcela única de R$ 1 mil do Programa “Novo Começo”. Com os novos benefícios, as cerca de 3.700 famílias que já estão recebendo o Auxílio-Aluguel, receberam um cartão que possibilitará sacar o benefício direto no Banco do Brasil, evitando o deslocamento até a Sehab para a retirada do cheque. “Com o cartão elas terão acesso às suas necessidades imediatas”, afirmou o governador Alberto Goldman.

Chega até ser engraçado falar de IMEDIATISMO tanto tempo depois do caos vivido pelos moradores da região. As ruas já secaram há mais de cinco meses e só agora um auxílio EMERGENCIAL foi liberado. Não sei se você concorda comigo, mas, emergência é sinônimo de urgência, pressa, rapidez, ou seja, é uma necessidade imediata e não para cinco meses após as enchentes. Vale lembrar que a Prefeitura só solicitou o reconhecimento do estado de calamidade pública para a região em março. Um dique (pôlder), obra de hidráulica e drenagem que, segundo o governo, vai evitar futuros alagamentos na região está sendo construído.

A situação vivida pelo Jardim Romano é um exemplo de ineficiência pública. Será que engenheiros, técnicos e especialistas nunca se preocuparam em am analisar a região antes das chuvas? No lugar onde estão construídos os prédios da Caixa Econômica Federal e o Centro Educacional da prefeitura, antes era uma área que, quando chovia, retia toda a água e impedia que casas fossem inundadas. O que é mais fácil: prevenir ou ter que agir depois que algo aconteceu? Não precisa nem responder!

Felipe Godoy

Rua Capachós, em janeiro.

Relembre a história do Jardim Romano: https://felipegodoy.wordpress.com/tag/romano/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: